Janeiro Branco

Janeiro Branco
Janeiro Branco

Refletindo sobre o Janeiro Branco

A pandemia nos forçou a olhar sobre a saúde mental; e, o isolamento social nos possibilitou olhar para nós mesmos.
A sociedade precisa deixar de lado o preconceito e atentar que cuidar de si, em todos os aspectos, perpassa necessariamente pelo cuidado também com sua saúde mental.
E o que vem a ser Saúde Mental?
É um estado de qualidade de vida cognitiva ou emocional em que pode ser observado como a pessoa harmoniza emoções, desejos, ideias, capacidade em prezar a vida, buscando um equilíbrio entre as atividades e os esforços para alcançar as exigências da vida. Ou seja, é estar bem consigo mesmo e com os outros.
Desta maneira, procuremos ser resilientes às dificuldades que a vida nos apresenta, sejamos gratos e procuremos ajuda profissional, quando a balança da vida pesa e o desequilíbrio se instaura.
Estejamos atentos e cuidemos de nossa saúde mental, como cuidamos de todo o nosso corpo.
Fique bem! Siga leve!

Ana Maria Faria – psicóloga da Casa da Convivência[*]

O que vem a ser Janeiro Branco?

Janeiro Branco é uma campanha brasileira iniciada em 2014 que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental na vida das pessoas. O mês de janeiro foi escolhido porque é neste mês que as pessoas estão mais focadas em resoluções e metas para o ano.[1] A campanha foi criada pelo psicólogo Leonardo Abrahão, de Uberlândia, Minas Gerais, e busca incentivar as pessoas a mudarem suas vidas e buscarem o que as faz felizes.[2]

Pessoas não são máquinas, todos temos subjetividade. Sorrimos, choramos, sentimos raiva. São emoções naturais do indivíduo, que remetem à saúde mental e emocional, muitas vezes negligenciadas.

É cultural darmos mais atenção ao físico, afinal, é palpável e visível. Vamos com frequência ao dentista, ao clínico geral e a tantos outros especialistas, sempre cuidando do corpo, mas deixamos em segundo plano a atenção aos distúrbios psicológicos que minam nossa qualidade de vida.

O Janeiro Branco veio para ajudar a sociedade a entender que o debate sobre o psíquico é de grande importância para evitar o adoecimento emocional da humanidade. Não é muito difícil encontrarmos pessoas que ainda acreditam que cuidar da mente, ir ao psicólogo, à terapia, é algo de outro mundo, é “coisa de doido”.

Disseminar a psicoeducação, ou seja, educar as pessoas sobre a importância do cuidado do dia a dia com os pensamentos, com a mente e com as emoções, é uma das chaves para encarar a vida de forma mais tranquila.

Como aderir ao Janeiro Branco?

Veja o que você pode fazer para ter uma vida mais tranquila, com momentos mais felizes:[3]

  • Valorize a sua existência. Liste seus pontos fortes e orgulhe-se deles, afinal, você é único no meio de 7 bilhões de pessoas.
  • Procure fazer o que mais gosta. Não se prenda, a vida é feita de momentos, se você passá-los investindo no que te agrada, se sentirá bem mais realizado.
  • Converse sobre a vida. Não guarde coisas, desabafar sempre tira o peso da alma e nos deixa mais leves e dispostos.
  • Encontre uma atividade física que combine com você. Seja dança, luta ou mesmo aquele jogo de futebol com os amigos, o importante é estar em movimento.
  • Falando em amigos, abrace-os, mantenha-os por perto. A vida foi feita para ser compartilhada com aqueles que nos fazem bem.
  • E por último, mas não menos importante, sorria. Amanhã será um outro dia!

Janeiro Branco e a Casa da Convivência

Como se sabe, a Casa da Convivência atua no cuidado a pessoas portadoras de deficiência intelectual. Nossa proposta é oferecer um espaço e oportunidade para nossos atendidos se descobrirem socialmente e se desenvolverem para uma vida normal e independente.

Recorrendo a diversas atividades, proporcionamos um atendimento multidisciplinar que contribui para o desenvolvimento de nossos assistidos como também para a tranquilidade de suas famílias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima